Palestra Sobre Plantas Invasoras

No Ano Internacional da Biodiversidade, a Árvores de Portugal está seriamente preocupada com o problema das espécies vegetais invasoras e sobre o seu impacto nas nossas florestas e demais ecossistemas. Especialmente grave é o desconhecimento geral do drástico efeito destas espécies, quer pela população em geral, quer por parte de entidades colectivas e mesmo por organismos públicos.

Com o intuito de divulgar e sensibilizar para este problema, em conjunto com a Associação Almargem e com o apoio da Câmara Municipal de Loulé, iremos organizar uma Palestra Sobre Plantas Invasoras, que terá como oradora a Dr.ª Elizabete Marchante, do Projecto INVADER. Este evento terá lugar no dia 16 de Abril pelas 15h00, na Sala da Assembleia Municipal de Loulé – Edifício Eng.º Duarte Pacheco.

Convidamos todos os interessados a participarem nesta acção e a divulgarem os conhecimentos que lhes vão ser transmitidos, por quem tem larga experiência no assunto derivada de anos a investigar as implicações das espécies invasoras. Só um esforço generalizado poderá mitigar o impacto destruidor destas espécies no nosso país.

6 Responses to “Palestra Sobre Plantas Invasoras”

  1. João Martins

    Caro Pedro,

    Lamento informar o blogue Àrvores de Portugal mas não posso deixar de vos dizer que a mesma Câmara que agora vos apoia na vossa nobre causa, a Câmara Municipal de Loulé, governada pelo dr. Seruca Emídio, vai levar a cabo mais uma destruição brutal do património arbóreo da cidade, ali mesmo em frente à Câmara Municipal e junto a sala da assembeia municipal.

    Fico triste. É só o que me ocorre dizer.

    Os melhores cumprimentos
    João Martins

    Responder
    • Miguel Rodrigues

      Caro João

      Não tinha conhecimento dessa acção. Se se refere às tílias da avenida, estou realmente preocupado. São das poucas árvores, na verdadeira acepção da palavra, ainda presentes nas ruas da cidade. Já várias vezes tenho olhado para elas e me tenho perguntado “porque será que ainda não foram sujeitas ao “tratamento”, será bom senso?” Pelo que me conta, foi apenas uma questão de tempo. Vou tentar entrar em contactar com as pessoas responsáveis a ver o que se pode fazer. Obrigado pela informação.

      Responder
    • Pedro Nuno Teixeira Santos

      Caro João,

      O Miguel já falou com um responsável pela CM de Loulé sobre a questão das recentes obras no parque e, provavelmente na próxima semana, voltará a questioná-lo sobre o previsível abate das tílias.

      O facto de a CM de Loulé proporcionar um local para organizar este evento em nada condiciona a nossa independência para questionar a política municipal relativa aos espaços verdes.

      Porque nos parece um assunto importante, quando escrevermos queremos fazê-lo de forma firme e com a certeza que também ouvimos a outra parte.

      Pedimos apenas um pouco de compreensão para o caso da nossa resposta não ser tão rápida quanto desejável.

      Um abraço e obrigado pela tua militância, empenho, dedicação e coragem na defesa das árvores do concelho de Loulé.

      Responder
  2. José Sabino

    Eu e vários colegas gostariamos de estar presentes e comentar a situação, mas como somos assalariados não temos hipote-se de estarmos ai convosco por ser ao meio do mês, por tal motivo penso que vós poderiam fazer uma palestra dum assunto tão importante como esse no Barreiro ou arredores.
    Fica À vossa consideração
    Obrigado pela vossa atenção
    José Sabino

    Responder
    • Pedro Nuno Teixeira Santos

      Caro José Sabino,

      A Associação Árvores de Portugal gostaria de organizar este tipo de iniciativas noutros pontos do país, mas os custos associados à organização deste tipo de eventos são praticamente incomportáveis para nós.

      Este evento de Loulé, por exemplo, só será possível devido ao facto de ser co-organizado com a Almargem. Somos uma associação muito pequena, com pouquíssimos sócios e escassos recursos financeiros.

      Não quer isto dizer que seja impossível organizar este tipo de eventos noutros locais do país, como o Barreiro. Mas, nesse caso, teríamos que arranjar parceiros locais, associações ou empresas (através de patrocínios), que pudessem suportar parte significativa dos custos.

      No caso do José conhecer entidades que possam estar dispostas a colaborar connosco, na organização dum evento deste tipo, agradecemos que nos contacte via e-mail.

      Cumprimentos.

      Responder

Deixar uma resposta

Mantenha-se no tópico, seja simpático e escreva em português correcto. É permitido algum HTML básico. O seu e-mail não será publicado.

Subscreva este feed de comentários via RSS